Os Signos Da Marca

O livro aborda questões que tem como foco central a marca, um dos pilares do mundo do consumo.

Porque centenas de marcas nascem e morrem diariamente? Porque algumas marcas são tão fortes que viram metonímia? Porque um produto se destaca mais que outro no ponto-de-venda? O livro procura responder essas questões e mostra, sem mistérios, a relevância do uso da semiótica para o estudo das marcas.

O livro Signos da Marca apresenta também um histórico da evolução do uso da marca e como elas se expressam com objetivo de se conectar com o consumidor. Apresenta a publicidade como caminho possível não apenas para a criação, mas principalmente, para a sustentação das marcas. Mas, a inovação do livro é o último capítulo “Semiótica da Marca?, onde a autora apresenta os novos caminhos do uso da semiótica para interpretação das marcas e suas expressividades e o uso em pesquisa de mercado, que é o trabalho que vem desenvolvendo na Ipsos.

Clotilde Perez, explica a importância do estudo semiótico das marcas em um ambiente competitivo como o de hoje: “Nossa sociedade está cada vez mais complexa e neste sentido só a semiótica é capaz de entrar nos mecanismos recônditos das mensagens e explicitá-las, gerando assim um caminho possível para o seu entendimento, além da proposição, em muitos casos, de caminhos corretivos. Em diversas situações a marca pode estar gerando efeitos de sentido que não são desejáveis e com a análise semiótica é possível revelar os potenciais problemas destes fenômenos signicos e propor novos caminhos de significação?

Clotilde Perez vem realizando para a Ipsos diversas análises semióticas para os clientes. Rodrigo Toni, diretor geral da Ipsos, no prefácio do livro avalia que a análise semiótica tem ajudado a desvendar as marcas e seus símbolos, embalagens, slogans, conceitos e peças publicitárias “Com ela, avançamos no conhecimento das manifestações sensoriais e das implicações culturais, afetivas e emocionais dos diversos elementos do mix de uma marca?.

“A Ipsos aqui no Brasil seguiu o mesmo caminho de sua matriz na França: foi na universidade procurar as bases teóricas e de produção consistente de conhecimento para implantação da pesquisa em semiótica. Este percurso deve ser reverenciado, por que quiçá não seja o mais fácil, mas certamente é o mais consistente e exitoso” afirma Clotilde Perez.Em marketing, as definições de marca têm sido tributárias do conceito jurídico: a marca jurídica é um sinal distintivo de produtos ou serviços. A progressiva consciência da missão estratégica das marcas alargou o conceito: hoje é a marca, e não mais o produto, a unidade estruturante da oferta das organizações. Numa abordagem semiótica da marca, esta é assumida na sua tripla condição de sinal, de objeto a que o sinal se refere, e de interpretação(ões) a que o sinal dá origem. A marca surge assim como um sinal ou conjunto de sinais de identidade, distintivos de uma missão e das respectivas ações de marketing oferecidas por uma organização, com o objetivo de obter uma imagem junto dos públicos a que se dirige.